Postagem em destaque

INDICE AO BLOG NSG E À BIBLIOTECA VIRTUAL LACHESISBRASIL BASEADO EM BUSCAS ESPECÍFICAS

OBSERVE POR FAVOR QUE A MAIORIA DOS LINKS SÃO AUTO EXPLICATIVOS, E CONTÉM INDICAÇÃO DE CONTEÚDO ANTES MESMO DE SUA ABERTURA: 1) SOBRE ...

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Brasil de Cabo (Ponta) a Rabo (Inércia)




Danilo, leitor do blog, pergunta se conheço 'o trabalho do barbatimão', e qual seria minha opinião à respeito.

O Dr. André Lopes Fuly é referencia internacional na bioquímica profunda do veneno da surucucu, e devo a ele muito do que sei sobre a dinâmica do envenenamento em humanos.

Em 2007 ele é citado em um trabalho nosso sobre acidente laquético, aqui:

http://www.lachesisbrasil.com.br/download/BulChicagoHerpSoc_Vol42Num7pp105-115%282007%29.pdf

Foi um orientando de mestrado (Neuroimunologia) seu, Dr. Rafael Cisne Nunes de Paula, no Laboratório de Venenos e Toxinas Animais e Avaliação de Inibidores, da Universidade Federal Fluminense, em 2009, quem descobriu as propriedades antiofídicas da planta barbatimão (S. barbatiman).

Em camundongos, o extrato da planta foi capaz de neutralizar a ação hemorrágica do veneno da surucucu, o que abre uma importantíssima linha de pesquisa, ainda por ser testada em humanos, de tratamentos alternativos à soroterapia especifica.

A etapa atual do trabalho é de isolamento das frações do extrato da planta responsáveis pela inibição de determinados efeitos da peçonha, antes do pré teste em humanos.

A tese de Dr. Rafael pode ser avaliada aqui:

http://www.uff.br/neuroimuno/TESE%20MESTRADO%20RAFAEL%20CISNE%20DE%20PAULA.pdf 

E sua publicação, aqui:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-91992010000200012

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=548852&indexSearch=ID

Dr. Eladio Sanchez (FUNED), também participa do trabalho. Creio que Dr. Eladio, e o Dr. José Maria Gutiérrez (Universidade da Costa Rica), sejam as maiores autoridades mundiais em bioquímica do veneno de Lachesis, e assim, posso responder ao leitor do blog que com um time desses, Fuly e Sanchez, é trabalho de credibilidade máxima.



Rafael Cisne é o Cabo, a Ponta, o aplauso. O Rabo, o Cu do Mundo, é a inercia.


         
 Uma linha do tempo seria essa:

1) Dr. João Luis Cardoso, me escreve na semana passada dizendo:

'... em reunião recente da OPS/OMS pra discutir ofidismo em áreas  indígenas na Amazônia, FUNED e IVB levantaram a questão do esgotamento da matéria prima para a produção nacional de Soro anti-laquético e SABL ...'

2) Eu encaminho a questão a Guilherme Reckzinger, do Ministério da Saúde, que responde dizendo:

'É, essa questão da falta de matéria prima já vem sendo discutida há um tempo. Tenho um documento, que produzi ano passado com auxilio de um ofício que envie a todos os laboratórios, que já contempla essa dificuldade.

Agora nos falta articular com pontos estratégicos e com o Ibama/MMA'

e mais

 'Volto a pergunta: como o NSG poderia ajudar nessa questão? Afinal de contas, é por aí que temos sucesso com surucucus'

3) Ao que respondo:

Caro Guilherme, algumas informações adicionais:

1) Quando falo que o NSG pode ajudar o MS a desatar esse nó na produção de soro anti-laquético e anti botrópico-laquético não me refiro a envio de animais, mas a doação emergencial de veneno. Este assunto já foi tratado por mim tanto na FUNED, com Dr. Romulo Righi, quanto no IVB, em contatos recentes com Dra. Nola Vital Brazil e Dr. Luis Eduardo.

2) A FUNED necessita de 2,0 gramas (dois gramas) de veneno seco por ano para tocar a produção. Quanto ao IVB não deve ser diferente.

3) Em função da urgência que o momento pede, com risco de desabastecimento na ponta, proponho que no dia 28 próximo um representante do MS me encontre no NSG, e já no domingo dia 30/11 esteja voando de volta com 4 gramas de veneno liofilizado (extraído na sexta 28/11 e processado por 24-36 hs). Meu voo é o Gol que chega a Ilhéus às 13 hs da sexta 28/11, retorno domingo 15 hs, já comprei passagens.

4) Dr. Guilherme, aproveito para torná-lo ciente de correspondência recente do presidente da FUNED, e que ilustra a urgência do momento. Considero imperdoável que burocracia detenha essa nossa ação. É literalmente questão de vida ou morte.

Aguardo instruções,

Rodrigo


4) Toda essa correspondência foi copiada para o MMA/Ibama.

5) NÃO OBTIVE RESPOSTA.

6) Não há veneno, desde o ano passado, para produzir o soro que atenderá ao acidentado na ponta,  E SÓ EU - DOADOR - ESTOU COM URGÊNCIA


Sabe-se que existem fiscalizações e fiscalizações em órgãos como o Ibama. Dr. Cantarelli, antes de se aposentar me disse que deixava o órgão  também 'pela mentalidade arrecadatória', alheia aos interesses das pessoas e da própria natureza, vista por alguns como 'peça de museu', algo para permanecer intocado. Há enorme quantidade de 'fogo-amigo' que sai dos escritórios do Ibama onde meu projeto se encontra hoje, sob analise, em 12 anos de tramite. 'Fogo-amigo' recente dá conta de que o processo foi novamente encaminhado 'à fiscalização'.

Isso me autoriza a divagar. Inercia numa questão dessas, onde há gente em sofrimento extremo, e morte, só pode se dar num raciocínio do tipo:

a) 'como pretendemos fuder esse cara, não podemos dar margem e oportunidade para ele crescer'

b) 'como pretendemos arrancar esses bichos da Bahia (para a morte certa no sudeste) não é necessário acordo ou doação desse cara'

Confira no link abaixo meu direito a essa divagação:

http://lachesisbrasil.blogspot.com.br/2012/07/quando-tudo-era-ausencia-esperei.html


Ao que respondo: barato não vai ficar. O IBAMA de Ilhéus, numa quarta feira 10 da manhã, mandou a PM de Itacaré na minha casa, me buscar, para fazer o serviço deles: tirar surucucu da casa de um morador. A SEMARH, sem solicitação minha, despejou surucucu ferida em Serra Grande. As policias, Militar e Civil, DEZENAS de vezes, comprovadas por depoimentos de QUATRO Comandantes Pelotões PM, e três Delegados, em boletins de ocorrência, solicitaram-me para proceder com remoções de surucucus, após tentarem, sem sucesso, apoio 'no IBAMA, CRA, e BOMBEIROS', e assim, amparado por resolução do CONAMA, e no espirito do melhor de São Paulo, 'lutei o bom combate e mantive a fé', e vou resistir a agressões.

Para entender melhor essa 'linha do tempo', confira:

http://lachesisbrasil.blogspot.com.br/2013/02/seja-bem-vindo.html



Para entender o Brasil, aumente MUITO o som e escute:

https://www.youtube.com/watch?v=cPSv7923MdA



PS:







Brasil de Cabo (Ponta) a Rabo (Inércia)




Danilo, leitor do blog, pergunta se conheço 'o trabalho do barbatimão', e qual seria minha opinião à respeito.

O Dr. André Lopes Fuly é referencia internacional na bioquímica profunda do veneno da surucucu, e devo a ele muito do que sei sobre a dinâmica do envenenamento em humanos.

Em 2007 ele é citado em um trabalho nosso sobre acidente laquético, aqui:

http://www.lachesisbrasil.com.br/download/BulChicagoHerpSoc_Vol42Num7pp105-115%282007%29.pdf

Foi um orientando de mestrado (Neuroimunologia) seu, Dr. Rafael Cisne Nunes de Paula, no Laboratório de Venenos e Toxinas Animais e Avaliação de Inibidores, da Universidade Federal Fluminense, em 2009, quem descobriu as propriedades antiofídicas da planta barbatimão (S. barbatiman).

Em camundongos, o extrato da planta foi capaz de neutralizar a ação hemorrágica do veneno da surucucu, o que abre uma importantíssima linha de pesquisa, ainda por ser testada em humanos, de tratamentos alternativos à soroterapia especifica.

A etapa atual do trabalho é de isolamento das frações do extrato da planta responsáveis pela inibição de determinados efeitos da peçonha, antes do pré teste em humanos.

A tese de Dr. Rafael pode ser avaliada aqui:

http://www.uff.br/neuroimuno/TESE%20MESTRADO%20RAFAEL%20CISNE%20DE%20PAULA.pdf 

E sua publicação, aqui:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-91992010000200012

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=548852&indexSearch=ID

Dr. Eladio Sanchez (FUNED), também participa do trabalho. Creio que Dr. Eladio, e o Dr. José Maria Gutiérrez (Universidade da Costa Rica), sejam as maiores autoridades mundiais em bioquímica do veneno de Lachesis, e assim, posso responder ao leitor do blog que com um time desses, Fuly e Sanchez, é trabalho de credibilidade máxima.



Rafael Cisne é o Cabo, a Ponta, o aplauso. O Rabo, o Cu do Mundo, é a inercia.


         
 Uma linha do tempo seria essa:

1) Dr. João Luis Cardoso, me escreve na semana passada dizendo:

'... em reunião recente da OPS/OMS pra discutir ofidismo em áreas  indígenas na Amazônia, FUNED e IVB levantaram a questão do esgotamento da matéria prima para a produção nacional de Soro anti-laquético e SABL ...'

2) Eu encaminho a questão a Guilherme Reckzinger, do Ministério da Saúde, que responde dizendo:

'É, essa questão da falta de matéria prima já vem sendo discutida há um tempo. Tenho um documento, que produzi ano passado com auxilio de um ofício que envie a todos os laboratórios, que já contempla essa dificuldade.

Agora nos falta articular com pontos estratégicos e com o Ibama/MMA'

e mais

 'Volto a pergunta: como o NSG poderia ajudar nessa questão? Afinal de contas, é por aí que temos sucesso com surucucus'

3) Ao que respondo:

Caro Guilherme, algumas informações adicionais:

1) Quando falo que o NSG pode ajudar o MS a desatar esse nó na produção de soro anti-laquético e anti botrópico-laquético não me refiro a envio de animais, mas a doação emergencial de veneno. Este assunto já foi tratado por mim tanto na FUNED, com Dr. Romulo Righi, quanto no IVB, em contatos recentes com Dra. Nola Vital Brazil e Dr. Luis Eduardo.

2) A FUNED necessita de 2,0 gramas (dois gramas) de veneno seco por ano para tocar a produção. Quanto ao IVB não deve ser diferente.

3) Em função da urgência que o momento pede, com risco de desabastecimento na ponta, proponho que no dia 28 próximo um representante do MS me encontre no NSG, e já no domingo dia 30/11 esteja voando de volta com 4 gramas de veneno liofilizado (extraído na sexta 28/11 e processado por 24-36 hs). Meu voo é o Gol que chega a Ilhéus às 13 hs da sexta 28/11, retorno domingo 15 hs, já comprei passagens.

4) Dr. Guilherme, aproveito para torná-lo ciente de correspondência recente do presidente da FUNED, e que ilustra a urgência do momento. Considero imperdoável que burocracia detenha essa nossa ação. É literalmente questão de vida ou morte.

Aguardo instruções,

Rodrigo


4) Toda essa correspondência foi copiada para o MMA/Ibama.

5) NÃO OBTIVE RESPOSTA.

6) Não há veneno, desde o ano passado, para produzir o soro que atenderá ao acidentado na ponta,  E SÓ EU - DOADOR - ESTOU COM URGÊNCIA


Sabe-se que existem fiscalizações e fiscalizações em órgãos como o Ibama. Dr. Cantarelli, antes de se aposentar me disse que deixava o órgão  também 'pela mentalidade arrecadatória', alheia aos interesses das pessoas e da própria natureza, vista por alguns como 'peça de museu', algo para permanecer intocado. Há enorme quantidade de 'fogo-amigo' que sai dos escritórios do Ibama onde meu projeto se encontra hoje, sob analise, em 12 anos de tramite. 'Fogo-amigo' recente dá conta de que o processo foi novamente encaminhado 'à fiscalização'.

Isso me autoriza a divagar. Inercia numa questão dessas, onde há gente em sofrimento extremo, e morte, só pode se dar num raciocínio do tipo:

a) 'como pretendemos fuder esse cara, não podemos dar margem e oportunidade para ele crescer'

b) 'como pretendemos arrancar esses bichos da Bahia (para a morte certa no sudeste) não é necessário acordo ou doação desse cara'

Confira no link abaixo meu direito a essa divagação:

http://lachesisbrasil.blogspot.com.br/2012/07/quando-tudo-era-ausencia-esperei.html


Ao que respondo: barato não vai ficar. O IBAMA de Ilhéus, numa quarta feira 10 da manhã, mandou a PM de Itacaré na minha casa, me buscar, para fazer o serviço deles: tirar surucucu da casa de um morador. A SEMARH, sem solicitação minha, despejou surucucu ferida em Serra Grande. As policias, Militar e Civil, DEZENAS de vezes, comprovadas por depoimentos de QUATRO Comandantes Pelotões PM, e três Delegados, em boletins de ocorrência, solicitaram-me para proceder com remoções de surucucus, após tentarem, sem sucesso, apoio 'no IBAMA, CRA, e BOMBEIROS', e assim, amparado por resolução do CONAMA, e no espirito do melhor de São Paulo, 'lutei o bom combate e mantive a fé', e vou resistir a agressões.

Para entender melhor essa 'linha do tempo', confira:

http://lachesisbrasil.blogspot.com.br/2013/02/seja-bem-vindo.html



Para entender o Brasil, aumente MUITO o som e escute:

https://www.youtube.com/watch?v=cPSv7923MdA



PS: