Postagem em destaque

INDICE AO BLOG NSG E À BIBLIOTECA VIRTUAL LACHESISBRASIL BASEADO EM BUSCAS ESPECÍFICAS

OBSERVE POR FAVOR QUE A MAIORIA DOS LINKS SÃO AUTO EXPLICATIVOS, E CONTÉM INDICAÇÃO DE CONTEÚDO ANTES MESMO DE SUA ABERTURA: 1) SOBRE ...

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O Legado




O animal em questão foi encaminhado ao NSG pela Policia Militar do Estado da Bahia, com fratura de ambos os arcos mandibulares. O encaminhamento foi autorizado pela chefia do Ibama de Ilhéus.






O ato cirúrgico no arco direito foi mais complexo porque a fratura não se encontrava alinhada, fragmentos ósseos foram removidos, formando-se uma solução de continuidade de cerca de 3 milímetros entre as porções proximal e distal do osso.

Ainda com relação ao arco mandibular direito, o acesso para alinhamento ósseo foi pela via inferior, evitando sangramento de mucosa.




A porção proximal recebeu fio de aço intra ósseo para alinhamento da fratura, enquanto outro fio, mais forte, foi afixado para transpor a área sem continuidade direta, unindo os dois fragmentos; três pontos em 'X', com nylon 2-0, estabilizaram a fixação destes fios de aço ...





Mais complexo que o manejo da fratura foi lidar com o 'estado de choque,' que acomete o gênero em contenções prolongadas, e que se mostra quase sempre fatal.

No pós operatório imediato houve parada respiratória e necessidade de entubação oro-traqueal.




O quadro foi revertido após 60 minutos de esforços bem ilustrados:





Concluindo, há 15 anos atrás seria impensável considerar-se uma postura destas por parte da elite da tropa da Policia Militar da Bahia, e por parte do cidadão que os acionou, pedindo apoio.

Participar dessa mudança de mentalidade tem sido nosso maior legado, pelas últimas surucucus da Mata Atlântica.










16 comentários:

  1. IMPRESSIONANTE .Cirurgia e recuperação .
    E o animal se recuperar do estado de choque , registro único em Lachesis, com certeza.PARABENS !

    ResponderExcluir
  2. Olá Rodrigo! Parabéns! Belo trabalho!
    Abraços

    Felix EUA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abraço Felix, vazou na hora exata, parabens pelo timming, e mande noticias no hotmail, por favor

      Excluir
  3. E a recuperação do animal está sendo surpreendente , bebe e come sozinha .
    Belo trabalho , Doc

    ResponderExcluir
  4. Bravíssimo 👏👏!!
    Equipe do NSG brilhou !
    E a cobra , danada , passou maus momentos e aguentou firme !
    Orgulho demais de vcs !

    ResponderExcluir
  5. Verdadeiro : o grande legado :
    A procura por ajuda ao animal , conscientização da população sobre a importância da preservação das surucucus .
    E ponto importante aqui é que sabiam que o NSG é a referência para surucucus na Região .

    ResponderExcluir
  6. Muita gente quando viu as primeiras postagens sobre a cirurgia , disseram, ' deviam deixar morrer', salvar para viver com problemas'.
    E olha o resultado: viva , bebendo e comendo sozinha .
    Mas que eficiência , Otimo trabalho.
    Abraço meu amigo,
    Sacramento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. deixar morrer faz parte, mas não desse caso; 24/12 completam-se 3 meses da fixação, nesse periodo recebeu forçada ratos de 01 dia de vida com calcio, dezenas, e a consolidação ficou boa, calo osseo palpável, e fazendo perfeitamente o 'strike hold' tipico do genero em animais - por enquanto - com menos de 100 gramas de peso; ao longo do ano vamos chegando aos extremos, os ratos de até 280 gramas, e muito grato pela presença de sempre Sacramento

      Excluir
  7. Removeu os fios de aço ?

    ResponderExcluir
  8. Ultrassom ou rx portáteis seriam úteis nessa hora.
    Evidentemente que no momento, liberarem o licenciamento no Inema e Ibama , é a urgência.
    E aí IVB , conseguiram a Licença pra extração ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, no caso tive que confiar na ancoragem de nylon 2-0, que não será removida, e no calo osseo evidente; ainda assim permanecerá comendo sozinha somente ratos pequenos, deixando os maiores, e que podem espernear mais, para o segundo semestre de 2017; normalmente á morte é instantanea, as presas atinegm a cintura escapular 99% das vezes,com injeção direta em coração e pulmão com morte no ato, mas o animal pode se mover com o bote ja a caminho, e o bote-apreensão / strike-hold pegar na barriga ou em outro ponto não letal de pronto, e aí tem que haver força na mandibula para aguardar a morte mais lenta do bicho, e é esse risco que não vou correr

      Excluir
  9. Muito bom isso, a explicação anatômica de uma mordida de surucucu no rato .muito bom mesmo .

    ResponderExcluir
  10. E se der os ratos já mortos ?
    Ela comeria sem maiores riscos .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. todas as outras comem ratos mortos, isso é fisioterapia

      Excluir